quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Cante um mantra

Este exercício ajuda a criar sensação de conforto em relação ao mantra escolhido. Primeiro, procure contar por cerca de cinco minutos-mais que isso pode levá-lo a um efeito semelhante ao transe e você vai começar a perder a concentração.

  1. Sente-se á vontade e feche os olhos. Concentre-se na respiração, que deve estar relaxada, regular e um pouco mais profunda que o normal.
  2. Repita o mantra escolhido algumas vezes, mentalmente. Quando se sentir pronto, diga-o em voz alta (mantenha a voz suave, mas audivel). Procure manter-se consiente do som das palavras- não se preocupe com o significado delas. Mantenha a respiração profunda e regular. Repita o mantra por cinco minuto.
  3. Quando se sentir pronto, pare de entoar e volte a atenção para a respiração ecoando no corpo, passe alguns minutos apenas aproveite essa sensação.

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Yoga na vida cotidiana

As diversas tecnicas do yoga na vida cotidiana, têm como objetivo  principal o relaxamento do sistema corpo-mente e a otimização orgânica e funcional deste conjunto.
Como tudo neste mundo é dual:
 exercícios físicos e conscientes (Asanas) ;
 exercícios de respiração que regulam e controlam a energia (Pranayama)
Atuam do corpo para a mente, removendo bloqueios, liberando e redistribuindo energias, aliviando as tensões musculares e regulando as secreções glandulares.
Mantras (vocalização de sons e ultrasons) equaliza e sincronizam as vibrações celulares e cerebrais, otimizando as funções psicossomáticas.
Yoganidra: técnicas de relaxamento, que uma vez vivenciada nos torna mais consciente dos pontos onde acumulamos tensões no dia a dia e como pulveriza-las.

Qualquer tempo é tempo para "recarregar" pilha, equilibrar suas energias,viver plenamente.
Faça yoga antes que você precise

terça-feira, 19 de julho de 2016

Meditação: Qual é a sua âncora?


Existem inúmeros caminhos que levam a meditação.
Quando alguém me pergunta sobre meditação e como se dá esta parada dos pensamentos, pois sempre se ouve falar que meditar é não pensar em nada, digo: Como cada orgão do corpo está programado para alguma função, o cérebro também está para produzir milhões de pensamentos.
Então por onde começar?
 primeiro coloco a pessoa pra observar a própria  respiração
segundo de como voltar a respirar como um bebê
terceiro de como realizar a respiração completa yogui
quarto de observar as pausas respiratórias (com ar e sem ar)
quinto de como observar os apoios para manter a coluna ereta
sexto de que com a atenção aos apoios você pode estar sentado até mesmo em uma cadeira.
sétimo de como vou me manter parado por alguns minutos:( minimo de 15 e máximo de 20 minutos)
oitavo de que âncora utilizar.
nono âncorar a atenção na respiração e nos apoios, pois só assim não iremos atras de uma sequência de pensamento.
decimo Todas as vezes em que pensarmos em algo, deixamos o pensamento, o barulho ou qualquer outro, e voltamos para a âncora (respiração, apoios)
Só assim conseguimos alcançar o tempo diario ; e só assim também é que teremos contato com todas aquela sensações e beneficios de que tanto se fala e descrevem os meditadores

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Viva o aqui e agora

O ser humano está envelhecendo a um ritmo galopante, com uma rapidez assustadora. Doenças do sistema nervoso como Parkinson e Alzheimer afetam um grande número da população.
Mas como fica o sábio conceito milenar e oriental de que o ser humano foi feito para viver 120 anos de boa? O conceito de que o ser humano nasce inspirando um primeiro alento e morre expirando pacificamente um último alento... sem demência, sem decrepitude? 
Os estudiosos da medicina Ayurveda sabem que o fator responsável pelo nosso envelhecimento e decadência física é o desequilíbrio do dosha vata, responsável pelo movimento em nossas vidas. Também devem saber que o conceito de Yukti Vyapashraya - a terapia dos opostos - deve ser observado no dia a dia para que haja equilíbrio, para que possamos seguir o tão famoso caminho do meio.
Vivemos em uma era vata,de extremo movimento, de extremo estresse, de inúmeras cobranças e competitividade. 
Nosso sistema nervoso não consegue assimilar os infinitos estímulos externos e fica sobrecarregado. Conclusão: '' tilt'' interno, todos os nossos neurônios entram em curto-circuito, causando danos gravíssimos á nossa saúde e bem viver.
Dentro do Ashtanga Yoga de Patañjali podemos encontrar a solução para este problema. As últimas peças do quebra-cabeça da vida estão bem diante dos nossos olhos  e no frenesi do momento atual não conseguimos enxergá-las.
Todo praticante de Yoga  se dedica em primeira instancia á quarta, dentre as oitos partes descritas por Patañjali: asana. O que enfatiza ainda mais a obsessividade por um corpo sarado e perfeito imposto pelas regras da nossa sociedade.
E pouca importância é dada para a quinta e a sexta partes deste estudo milenar.
Pratyabara é o grande pulo do gato, o link entre nossa pratica física e espiritual. Literalmente, devemos nos ''abstrair dos sentidos''. Aos poucos voltar nossa atenção para dentro de cada um de nós,  mergulhar no infinito campo da pura potencialidade que se abre dentro de nossos corações, prestar atenção nos barulhos  do nosso silencio interior. A partir daí devemos praticar  dharana - concentração ou foco da mente em um ponto específico.
A minha sugestão para você, leitor, é concentração e foco no momento presente, no aqui no agora.
Desapego das mágoas do passado, desapego das inseguranças do futuro e aceitação do momento presente. Entrega total a uma força maior que guia nossos passos.
Urge em nossas vidas a necessidade da abstração dos sentidos, do foco e da concentração que vão gerar o aquietamento gradativo da nossa mente. A partir daí começaremos a sedução do nosso espirito e abriremos espaço para ouvir as mensagens inspiradoras da nossa alma.
Todos os deuses e todas as deusas que habitam nosso coração desabrocharão dentro de nós e nos tornaremos a cada dia seres humanos melhores  e mais sábios.
E então terá valido a pena viver. experimente. Você certamente não vai se arepender!

Texto escrito por: Márcia De Luca. 

sábado, 9 de julho de 2016

O encontro consigo mesmo: YOGA

Nos arrumamos, perfumamos, tomamos banho tudo isso para um encontro. Que tal permitimos nos organizar, limpar, prestar atenção em tudo que nos envolve internamente 
Shivananda disse:
Yoga União consigo mesmo
         União com os demais seres
         União com o Absoluto
À medida que prestamos mais atenção na respiração e ao fluxo desta no corpo físico, mental, e emocional; nos tornamos mais conscientes do nosso papel no mundo!Portanto vale a máxima "Yoga é pratica, teoria demais intoxica, fermenta e faz mal''

terça-feira, 28 de junho de 2016

Asanas de equilíbrio


ASANA ; Posição psicofísica : Mente e Corpo

Asana de equilíbrio em especial, nos conferem maior segurança, maior confiança. São também ´´ótimos" exercícios de concentração" Concentre a sua vontade em realizar o asana! 


Quanto maior a atenção com a respiração,maior a suavidade na execução do asana.


quarta-feira, 22 de junho de 2016

Conselhos que os iniciantes devem saber

As primeiras aulas de Yoga tudo pode parecer esquisito . O corpo físico , corpo energético , e a mente viajaram para lugares nunca antes visitados . Com tantas sensações novas e estímulos musculares e nas articulações .Como saber se você está perto de uma lesão? como saber onde está a fronteira entre dor e a sensação? a resposta mais simples : olhos calmos e um sorriso suave . Quando um Instrutor(a) instrui , ” suavizar o rosto ” ou “virar os cantos da boca e relaxar as sobrancelhas, ” isso não é apenas para ficar com uma bela aparência na aula.
A dor tem uma expressão muito clara. Quando experimentamos sensações físicas e até mesmo emocionais que induzem a dor , a testa franze, a mandíbula fica tensa e os olhos arregalam. Um olhar macio, leve sorriso e no espaço entre as sobrancelhas significam que você ainda está respirando.

Se você está praticando Yoga no seu limite pessoal, você deve ser capaz de relaxar o rosto e os olhos .Ranger os dentes ou sentir-se ofegante alarma que você deve estar forçando de mais que possivelmente vai causar lesões. Sorrindo de orelha a orelha , provavelmente, significa que você não está tentando o seu melhor.

Como os budistas diriam , siga o o caminho do meio. Perceba sua expressão facial com freqüência durante a prática. Quando você experimentar uma sensação nova , pergunte a si mesmo , como estão os músculos faciais? À vontade ?

Se sim , segure e talvez tente ir um pouco mais profundo nas posturas e se não, faça menos ou pergunte para sua professora sobre uma modificação da postura .